6 de março de 2010

O Sacramento da Unção dos enfermos

A constituição apostólica Sacram unctionem infirmorum de 30 de novembro de 1972, seguindo o Concílio Vaticano II, estabelece que doravante, no rito romano, se observe o seguinte:

O sacramento da unção dos Enfermos é conferido às pessoas acometidas de doenças perigosas, ungindo-as na fronte e nas mãos com óleo devidamente consagrado – óleo de oliveira ou outro óleo extraído de plantas – dizendo uma só vez: “ Por esta santa unção e pela sua piíssima misericórdia, o Senhor venha em teu auxílio coma graça do Espírito Santo, para que, liberto de teus pecados , ele te salve e na sua bondade, alivie os teus sofrimentos’.

“ Alguém dentre vós está doente?Mande chamar os presbíteros da igreja para que orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o doente e o Senhor o porá de pé:e se tiver cometido pecados, estes lhe serão perdoados” (Tg 5, 14-15)

O sacramento da Unção dos Enfermos tem por finalidade conferir uma graça especial ao cristão que está passando pelas dificuldades inerentes ao estado de enfermidade grave ou de velhice.

O tempo oportuno para receber a sagrada unção é certamente aquele em que o fiel começa a encontrar-se em perigo de morte devido a doença ou à velhice.

Cada vez que um cristão cair gravemente enfermo, pode receber a sagrada unção. Da mesma forma pode recebê-la novamente se a doença se agravar.

Só os presbíteros (Bispos e sacerdotes) podem dar o sacramento da Unção dos Enfermos: para conferi-lo empregam óleo consagrado pelo Bispo ou, em caso de necessidades, pelos próprio presbítero celebrante.

O essencial da celebração deste sacramento consiste na unção da fronte e das mãos do doente ( no rito romano) ou de outras partes do corpo (no Oriente) , unção acompanhada da oração litúrgica do presbíteros celebrante, que pede graça especial deste sacramento.

A graça especial do sacramento da Unção dos enfermos tem como efeitos:

- A união do doente com a paixão de Cristo, para seu bem e o bem de toda a igreja,

- O reconforto, a paz e a coragem para suportar cristãmente os sofrimentos da doença ou da velhice,

- O perdão dos pecados, se o doente não puder obtê-lo pelo sacramento da Penitência,

- O restabelecimento da saúde, se isso convier à salvação espiritual,

- A preparação para a passagem à vida eterna.

Fonte: Catecismo da Igreja Católica; Edição Loyola-SP 1993

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário