28 de dezembro de 2010

Reforma para 2011


Prezado (a) amigo (a) visitante,


algumas funcionalidades do blog podem não estar em pleno uso pois estamos em reforma. 
Agradecemos a vista e volte sempre!

Equipe Turma do Crisma

22 de dezembro de 2010

Dom Mário Marquez foi nomeado pelo Papa Bento XVI, Bispo Diocesano de Joaçaba em Santa Catarina


Dom Mário Marquez foi nomeado hoje, 22 de dezembro de 2010, pelo Papa Bento XVI, Bispo Diocesano de Joaçaba em Santa Catarina.

Dom Mário foi Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo de 2006 a 2010.

O agradecimento de toda a Arquidiocese a Dom Mário pela presença e missão que realizou entre nós e que Deus abençoe sua nova missão.

A posse em Joaçaba acontece no dia 19 de fevereiro de 2011, às 16h, na Catedral Santa Terezinha.

Confira o que Dom Mário disse ao site da Arquidiocese de Vitória

Dom Mário nasceu em Joaçaba em 1952, mas desde os 12 anos vive longe de sua região de origem. Por isso, sente sua nomeação como novo Bispo dessa cidade, como um presente, uma possibilidade de voltar ao lugar de origem.

Quando chegou a Vitória, em 2006, ficou impressionado com o contraste das paisagens litorâneas e serranas e achou características semelhantes ao Estado de Santa Catarina. Também se surpreendeu com a intensa atividade pastoral da Arquidiocese de Vitória, e, sua extensão territorial e populacional.

Quais foram os momentos mais marcantes desta caminha como Bispo Auxiliar de Vitória?

Dom Mário: Para mim, os momentos mais marcantes foram o Sínodo Arquidiocesano, as festas de Nossa Senhora da Penha, as visitas pastorais, a participação na Rádio América e Revista Vitória, as celebrações de crismas, instituição de ministros e celebrar ordenações sacerdotais.

Quais são as suas expectativas como novo Bispo de Joaçaba?

D. Mário: Conhecer melhor toda a realidade da diocese para melhor servir através da minha missão episcopal, com cuidado e zelo pastoral respeitando a caminhada da mesma.

O que o senhor vai levar da experiência como Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Vitória?

D. Mário: O meu pastoreio, como Bispo Auxiliar nesta arquidiocese, proporcionou-me uma experiência ampla e abrangente, principalmente junto à grande experiência do senhor Arcebispo Dom Luiz Mancilha Vilela como mestre e ao mesmo tempo companheiro.

16 de dezembro de 2010

Guarapari se despede de seus padres

Três entre quatro paróquias de Guarapari estão vivendo um período de despedidas de seus padres. De um total de 08 padres que atuavam em Guarapari, pelo menos 06 estão ou estarão de mudança da cidade.

A Paróquia que irá sofrer mais mudanças será a Paróquia N.S. Conceição - Centro: já saiu o Frei João Batista, transferido para a Paróquia N.S. Conceição - Serra sede; está saindo o Pe. Davi, indo atuar em outra diocese; e o pároco Pe. Paulo Régis, que dia 26/12 assumirá a Catedral Metropolitana de Vitória.

A Paróquia São José se despede de seu Pároco Pe. Sebastião Batista Viana. No dia 20 de dezembro, às 19:30, acontece a celebração da Eucaristia que marca os 40 anos de ordenação presbiteral e ao mesmo tempo a despedida de Pe. Batista. Na Paróquia São Pedro já aconteceu a saída de Cônego Toninho, por problemas de saúde, ainda sem possibilidade de voltar. Com a posse do novo pároco, Pe. Alair Alixandre, marcada para o dia 29 de janeiro, às 18hs, na Com. Matriz São Pedro, o atual pároco já terá se despedido da paróquia e ido embora.

Rezemos por aqueles que partem porque foram chamados para exercer a missão em outras terras, com os seus novos desafios e possibilidades. Que Deus os acompanhe com a sua bênção.

Novos padres e novas posses

Dentro do processo de transferência de padres entre as diversas paróquias da Arquidiocese de Vitória, as posses de diversos padres já estão em fase de realização.

O Frei João Batista, que estava atuando no centro e mais especificamente em Meaípe, no dia 17 de outubro assumiu a Paróquia N.S. Conceição, Serra-sede. A Paróquia São José - Bairro S. José, recebe no dia 21 de dezembro às 19:30 o seu novo pároco Pe. Tiago Sanxo. O Pe. Paulo Régis Silvestre assume a Paróquia N. S. da Vitória - a Catedral Metropolitana de Vitória, no dia 26 de dezembro de 2010, às 18hs. Por sua vez, a Paróquia N.S. Conceição - Guarapari - Centro, recebe
o Pe. Jorge Campos no dia 02 de janeiro.

Na Paróquia Pedro - Muquiçaba, a posse do Pe. Alair Alixandre acontece no dia 29 de janeiro, às 18hs, na Com. Matriz São Pedro. O Pe. Sebastião Batista Viana tomará posse em Manhumirim - MG, no dia 30 de janeiro de 2011. O Pe. Manoel David Neto, por sua vez será empossado na Paróquia Santíssima Trindade, Vila Capixaba, próximo à Ceasa, em Cariacia, no dia 13 de fevereiro de 2011, às 09hs da manhã.

Com a proteção de N.S. da Penha e a bênção de Deus pedimos que todos os padres que estão assumindo novos desafios pastorais possam ser felizes em seus trabalhos e ajudem na construção do Reino de Deus, que começa já aqui, entre nós.

*Informativo Pedras Vivas, ano X, dezembro/2010

Destino das crianças que morrem sem batizar é o Céu

VATICANO, 23 Abr. 07 / 01:58 am (ACI). - Depois de alguns anos de estudo, a Comissão Teológica Internacional –que depende da Congregação para a Doutrina da Fé– publicou um documento que assinala que a tradicional hipótese teológica do limbo, o lugar onde estariam eternamente as crianças mortas não batizadas sem gozar da comunhão com Deus, reflete uma "visão excessivamente restritiva da salvação".

No documento "A esperança de salvação para as crianças que morrem sem ter sido batizadas", cuja publicação foi aprovada pelo Papa Bento XVI, a Comissão conclui que "o destino das crianças que morrem sem ter recebido o batismo é o Céu".

Em declarações a Rádio Vaticano, o Secretário Geral de tal Comissão, Padre Luis Ladaria, afirmou que "as razões fundamentais que levaram a esclarecer, do ponto de vista teológico, que as crianças que morrem sem terem sido batizadas vão ao Céu estão representadas, em primeiro lugar, pela misericórdia infinita de Deus, que quer que todos os homens se salvem".

O sacerdote jesuíta ressaltou "a mediação única e universal de Cristo, que veio ao mundo para salvar todos os homens", sem esquecer que "Jesus mostrou de forma especial sua proximidade aos pequenos e sua predileção por eles". Segundo Ladaria "todas estas razões levam a esperança da salvação das crianças que morreram sem serem batizadas".

Desta maneira, o documento responde a um "problema pastoral urgente, já que cada vez são mais as crianças nascidas de pais não católicos e que não são batizadas e também "outros que não nasceram ao serem vítimas de abortos", explica a Comissão.

"Nossa conclusão é que muitos fatores que consideramos dão sérias bases teológicas e litúrgicas à esperança de que as crianças mortas sem batismo sejam salvas e gozem da visão beatífica", sustentam os teólogos.

O Padre Ladaria esclareceu deste modo que "o limbo nunca foi definido como dogma", e recordou que "o Catecismo da Igreja Católica não o menciona".

Sobre o contribua do Papa Bento XVI na elaboração deste texto, o Pe. Ladaria explicou que a redação é obra da Comissão, mas que o Papa, "tendo sido além presidente da própria Comissão, quando era Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, sendo então o Cardeal Ratzinger– indicou este tema de estudo. Provavelmente de acordo com o Papa João Paulo II. E, como sabemos, deu seu consenso para a publicação deste texto".

O texto, já publicado em inglês, será publicado em italiano no próximo 5 de maio na revista Civiltá Cattolica. Posteriormente se publicará em diversos idiomas.


Leia o documento original, clique aqui.

13 de dezembro de 2010

13 de dezembro, dia de Santa Luzia

Santa Luzia de Siracusa (± 283 - 304), também conhecida por Santa Lúcia, foi uma jovem siciliana, venerada pelos católicos como virgem e mártir, que morreu por volta de 304 durante as perseguições de Diocleciano em Siracusa.

Na antiguidade cristã, juntamente com Santa Cecília, Santa Águeda e Santa Inês, a veneração à Santa Luzia foi das mais populares e, como as primeiras, tinha ofício próprio. Chegou a ter 20 templos em Roma dedicados ao seu culto.

Luzia era uma jovem, filha de uma mãe de boas condições financeiras. Quando tornou-se mais velha, foi prometida para casar-se com um jovem rico de sua cidade. Luzia não aceitou a ideia, pois pretendia seguir carreira religiosa, mas sua mãe não gostava da ideia.

A mãe de Lúcia então ficou muito doente, a jovem pôs-se a rezar por sua mãe, e levou a seu leito as relíquias de Santa Águeda. A mãe de Luzia curou-se da doença e aceitou a ideia de sua filha seguir carreira religiosa.

O rapaz com quem Luzia iria se casar não gostou da ideia e acusou-a de professar falsa fé cristã. O rapaz fez com que Luzia fosse julgada pela Igreja, até que foi decidido que a jovem virgem teria de ser levada a um prostíbulo para se contaminar.

Segundo a história, quando os guardas vieram buscar Luzia, seu corpo tornou-se tão pesado que nem muitos homens conseguiram tirá-la do lugar.

Luzia então foi vítima de várias torturas, sendo que uma delas foi arrancar seus olhos, que foram colocados em uma bandeja e entregues ao seu ex-pretendente. Mesmo assim, no dia seguinte os olhos de Luzia apareceram em seu rosto, intactos.

Luzia continuou sendo torturada, até que no dia 13 de dezembro um golpe de espada cortou sua cabeça.
Depois de alguns anos Luzia foi reconhecida como santa pelo Vaticano, e é hoje a protetora dos olhos.

Anos depois Lucia foi canonizada, tornando-se santa e mártir da Igreja Católica, ela é a protetora dos olhos. Sua festa é celebrada em 13 de Dezembro.

6 de dezembro de 2010

Celibato sacerdotal na Igreja Católica

Por JOHN LENNON J. DA SILVA

Do ponto de vista histórico eclesial, podemos afirmar que o celibato dos padres tem origem canônica nas decisões do Supremo Magistério, e estabelecido como (lei disciplinar)¹ no séc. III. Costume que especialmente nos concílios ecumênicos, foi estabelecido e declarado obrigatório o celibato clerical aos sacerdotes, consagrados ao serviço do altar, tornando-se lei eclesiástica principalmente para a Igreja de rito latino, formulada pelo Magistério da Igreja Católica.

No entanto nos primórdios do Cristianismo, III primeiros séculos existiram Bispos, Presbíteros e Diáconos da Igreja que eram casados, pelo fato de encontra-se embasamento nas Sagradas Escrituras, sendo também necessidade ao contexto primitivo da Igreja, quando o celibato ainda não desempenhava notoriedade, já que numericamente os adeptos do Cristianismo, resumiam-se a pequenas comunidades dolorosamente perseguidas no séc. II. Nesta época aconteceram às primeiras tentativas de uma solida organização eclesiástica, provenientes dos primeiros lideres cristãos os Pais Apostólicos², contudo deu-se ouvidos a orientação paulina de que os candidatos ao Bispado ou presbitério sejam “casados uma só vez” e sejam íntegros na fé, postando uma boa qualificação moral, cf. (I Tim 3,2; e Tt 1, 6:) tomando a necessidade pastoral daqueles dias para as comunidades cristãs, existiram alguns que optavam por uma vida afastada da relação conjugal ou matrimonial, o que posteriormente inspirou vários monges a optaram radicalmente pela proposta auxiliada por uma vida eremita, afastados do mundo, consagrados a Deus a partir do início do século III.

Nesta perspectiva outro grande motivo possibilitou a Igreja, afirmar o celibato entre os padres, os infelizes acontecimentos e fatos envolvendo clérigos; alguns padres no fim do III século, chegaram a praticar adultérios, ou acentuar-se a poligamia, trazendo escândalo para os fieis, no século IV, o Concílio Ecumênico de Niceia em 325, entre as varias elucidações doutrinarias, pastorais e de organização, achou oportuno tendo como algozes os padres conciliares que declaram a utilidade do celibato entre o clero e a proibição dos mesmos de se relacionarem conjugalmente com mulheres, sabe-se que tal afirmação apoiou-se nos exemplos que a Igreja salvaguardava, como a opção e situação celibatária encontrada entre os apóstolos de Cristo especialmente no apóstolo dos gentios S. Paulo.

Entre os cânones conciliares havia a seguinte declaração:

“Nenhum deles deverá ter uma mulher em sua causa, exceto sua mãe, irmã e pessoas totalmente acima de suspeita.”. “O grande Sínodo proíbe rigorosamente qualquer bispo, presbítero, diácono, ou qualquer um do Clero, ter uma "subintroducta" morando com ele, excetuadas apenas a mãe, uma irmã ou tia, ou pessoas assim, desde que sejam acima de quaisquer suspeitas”. (Os Cânones dos 318 Bispos Participantes; I Concílio Ecumênico de Nicéia; Cânon III:).

“A coabitação de mulheres com bispos, presbíteros e diáconos é proibida por causa do celibato desses. Decretamos que nem bispos nem presbíteros viúvos devem viver com mulheres. Não podem eles acompanhá-las, nem se familiarizarem com elas, nem contemplá-las insistentemente. O mesmo decreto é dado em relação a cada padre em celibato, incluídos os diáconos que não têm esposas. Isto deve ser assim, seja a mulher bonita ou não, seja adolescente ou mulher mais velha, seja de elevado status ou órfã acolhida em caridade com o propósito de ajudá-la; Pois que o demônio faz o mal, com tais armas, aos religiosos, bispos, presbíteros e diáconos, e os incita ao fogo do desejo. Mas se a mulher é de idade avançada, uma irmã ou mãe, ou tia, ou avó, será permitido viverem com elas porque essas pessoas estão livres de qualquer suspeita de escândalo.” (Outros Cânones de Niceia (segundo a versão Árabe); Cânon III).

“Sinal” para a vida a serviço de Deus feito pelo ministro cf. (CIC nº 1579). Encontra-se canonicamente estabelecida no ocidente, tendo principio em São Paulo, entre as suas palavras existe a seguinte admoestação a respeito de seu exemplo de homem celibatário; “Aos solteiros e as viúvas, digo que lhes é bom se permanecerem assim, como eu” (Cor 7, 8;) um dos seus celebres discípulos que se tornará Bispo, Timóteo imitador de S. Paulo também era celibatário, o mesmo Paulo apresenta prerrogativas a favor de tal modelo de vida sacerdotal, ”o que esta sem mulher, esta cuidadoso das coisas do Senhor, como há de agradar a Deus. Mas o que esta casado, está cuidadoso das coisas que são dos mundo, como há de agradar á sua mulher.” (I Cor 7, 32-33;). Que sejam os clérigos seus imitadores como o mesmos foram de Cristo, que como lembra o Catecismo devem “guardar o celibato "por causa do Reino dos Céus" (Mt 19,12)” (CIC nº 1579).

O Proto Bispo de Roma a qual exerceu estas funções, S. Pedro, segundo a Sagrada Tradição, tornou-se celibatário, ele mesmo confessa isto em seu abandono à missão de anunciar a boa nova e na pessoa de Jesus como discípulo; “Vê nós abandonamos tudo e te seguimos, Jesus respondeu ‘em verdade vós declaro: ninguém há que tenha abandonado por amor ao Reino de Deus, sua casa, sua mulher, seus irmãos, seus pais ou seus filhos, que na receba muito mais neste mundo e no mundo vindouro a vida eterna.” (Lc 18, 28-30.).

Nosso Senhor declara no Evangelho de Mateus; “Porque há eunucos que são desde o ventre de suas mães, há eunucos tornados tais pelos homens e há eunucos que a si mesmo se fizeram eunucos por amor do Reino dos céus,”. (Mt 19, 12:).

A Igreja toma parte deste modelo e sinal de vida para os sacerdotes, os presbíteros é dado o casamento com o altar, que deve ser o ápice desta consagração em seu ministério, que servindo ao Senhor são chamados a fazerem-se eunucos por amor ao Reino eterno, e foi por intermédio do Espírito Santo, que governa a Igreja que o desejo de velar e instituir tal costume foi promungado nos concílios ecumênicos, competindo ao parecer do Espírito Santo através do Sagrado Magistério da Igreja, continuar ou não este costume entre o clero católico.

É bom ressaltar que certas Igrejas particulares (sui juris) que zelam pela comunhão com Roma como a Igreja Maronita de rito Antioquino, preveem em seu direito canônico próprio o costume:

“Nas Igrejas orientais, está em vigor, há séculos, uma disciplina diferente: enquanto os Bispos só são escolhidos entre os celibatários, homens casados podem ser ordenados diáconos e padres. Esta praxe é considerada legítima há muito tempo; esses padres exercem um ministério muito útil no seio de suas comunidades. O celibato dos presbíteros, por outro lado, é muito honrado nas Igrejas orientais, e são numerosos os que o escolhem livremente, por causa do Reino de Deus. No Oriente como no Ocidente, aquele que recebeu o sacramento da Ordem não pode mais casar-se” (Catecismo nº 1580).

Canonicamente a Igreja latina observa a prescrição dada e acrescentada por inspiração do Santo Espírito ao Magistério da Igreja de observar o celibato.

“Todos os ministros ordenados da Igreja latina, com exceção dos diáconos permanentes, normalmente são escolhidos entre os homens fiéis que vivem como celibatários e querem guardar o celibato "por causa do Reino dos Céus" (Mt 19,12). Chamados a consagrar-se com indiviso coração ao Senhor e a "cuidar das coisas do Senhor", entregam-se inteiramente a Deus e aos homens. O celibato é um sinal desta nova vida a serviço da qual o ministro da Igreja é consagrado; aceito com coração alegre, ele anuncia de modo radiante o Reino de Deus.” (CIC nº 1579: 1599).

Notas
Lei disciplinar¹: Leis instituídas pelo Magistério da Igreja, seu cumprimento vigora enquanto a Igreja recomendá-la como norma que merece assentimento dos clérigos ou especificamente aos fieis.

Pais Apostólicos²: Tratam-se dos homens que tiveram contato com os apóstolos, exerceram importância no amadurecimento institucional da Igreja, alguns deles sucederam os apóstolos ou foram discípulos dos mesmos, é título especifico dos primeiros Padres da Igreja, pela proximidade com os tempos apostólicos da Igreja.

_________________________________________

Pequenas observações da realidade cotidiana:

O celibato do clero tem fundamento no próprio exemplo de Cristo, que não se casou.

O celibato é a instituição mais atacada na Igreja. Por que ninguém critica o celibato dos monges budistas ou orientais, mas atacam a Igreja?

O fim do celibato não trará mais vocações. O Oriente Médio prova isso. Ordenação de casados não fez aumentar o número de padres.

Imagine esta situação: Um padre casado é chamado para dar a extrena unção a um paciente terminal, mas neste mesmo momento sua esposa entra em trabalho de parto. Quem ele atende? A esposa ou o doente?

Celibato é condicional da verdadeira vocação. O homem e a mulher vocacionado à Deus precisa morrer para o mundo e nascer de novo. Nascer para servir a Deus e ao irmão. Apenas para servir. Portanto, o celibato é necessário. Não se pode servir em plenitude, se aberto aos prazeres carnais e ao compromisso conjugal.

"A questão deve ser a seguinte: por que não deixar de ser padre, ou melhor, por que querer ser padre, sem a devida vocação ao celibato? A Igreja não obriga ninguém a ser se não quiser. Então a Igreja mantém o celibato, como fonte de virtude e semelhança a Cristo, sumo e eterno sacerdote... Infelizmente a pedofilia é algo terrível que vem assolando a sociedade em todos os âmbitos; basta ligar a televisão é ver quase todos os dias, pais que molestam filhos e filhas, educadores que molestam alunos, médicos que molestam pacientes e por aí vai. Então é muita babaquisse preocupar-se com algo que não tem nada a ver. Até parece que essas pessoas que pedem o fim do celibato são muito fiéis à Igreja. Pelo contrário, na maioria das vezes nem católicos são."

É verdade que hoje os homens casados têm pouco tempo para dedicar à família. Porém, é exatamente isso que causa crises familiares. Se com o celibato, já temos problemas com um ou outro sacerdote, imagine se eles tivessem que dividir seu tempo com o "trabalho" e a família. Fariam as duas coisas pela metade. E tanto suas ovelhas como suas famílias ficariam na mão...

Se celibato interferisse no número de vocações, as dioceses estariam repletas de diáconos permanentes. Porém, não verificamos isso na realidade. Cristo nunca foi casado nem teve filhos. Alguém vai dizer que ele não soube conduzir seu rebanho por "falta de experiência" ?
"Quem vai ser a doida de querer casar com padre? O padre da minha paróquia acorda às 4:30h da matina para as primeiras orações. Reza 5 missas diárias, faz confissões, atende a 42 comunidades, trabalha nas obras assistenciais, atende chamados urgentes, etc, etc, etc... Deus me livre ser mulher de padre!"
O outro lado da moeda da questão do celibato é o ímpeto missionário. Ora, não é mera coincidência que a grande parte dos católicos do mundo sejam Católicos de Rito Latino. Graças às vocações dos celibatários, e à presença de ordens religiosas, o ímpeto missionário de grandes santos levou a fé aos confins da Terra, muitas vezes à custa do sangue de muitos. O celibato obrigatório foi decisivo no grande ímpeto missionário da Igreja Latina.

Agradecimento: Blog Redemptionis Sacramentum

5 de dezembro de 2010

Cobertura ao vivo EMJOCA 2010


Graças a Deus, a tecnologia nos proporciona inúmeras oportunidades. Acompanhe ao vivo o 2º EMJOCA, que está sendo realizado no novo ginásio de esportes, em Anchieta.

Clique na imagem abaixo.
Transmissão de 8h às 22h.

28 de novembro de 2010

A preparação / Mistério do Natal

§ 522 A vinda do Filho de Deus à terra é um acontecimento de tal imensidão que Deus quis prepará-lo durante séculos. Ritos e sacrifícios, figuras e símbolos da "Primeira Aliança", tudo ele faz convergir para Cristo; anuncia-o pela boca dos profetas que se sucedem em Israel. Desperta, além disso, no coração dos pagãos a obscura expectativa desta vinda.

§ 523 São João Batista é o precursor imediato do Senhor, enviado para preparar-lhe o caminho. "Profeta do Altíssimo" (Lc; 1,76), ele supera todos os profetas, deles é o último, inaugura o Evangelho; saúda a vinda de Cristo desde o seio de sua mãe e encontra sua alegria em ser "o amigo do esposo" (Jo 3,29), que designa como "o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" (Jo 1,29). Precedendo a Jesus "com o espírito e o poder de Elias" (Lc 1,17), dá-lhe testemunho por sua pregação, seu batismo de conversão e, finalmente, seu martírio.

§ 524 Ao celebrar cada ano a liturgia do Advento, a Igreja atualiza esta espera do Messias: comungando com a longa preparação da primeira vinda do Salvador, os fiéis renovam o ardente desejo de sua Segunda Vinda. Pela celebração da natividade e do martírio do Precursor, a Igreja se une a seu desejo: "É preciso que Ele cresça e que eu diminua" (Jo 3,30).

§525 Jesus nasceu na humildade de um estábulo, em uma família pobre; as primeiras testemunhas do evento são simples pastores. É nesta pobreza que se manifesta a glória do Céu. A Igreja não se cansa de cantar a glória dessa noite:

Hoje a Virgem traz ao mundo o Eterno /E a terra oferece uma gruta ao Inacessível./ Os anjos e os pastores o louvam/ E os magos caminham com a estrela./ Pois Vós nascestes por nós, Menino, Deus eterno!

§526 "Tornar-se criança" em relação a Deus é a condição para entrar no Reino; para isso é preciso humilhar-se, tornar-se pequeno; mais ainda: é preciso "nascer do alto" (Jo 3,7), "nascer de Deus" para tornar-nos filhos de Deus. O mistério do Natal realiza-se em nós quando Cristo "toma forma" em nós. O Natal é o mistério deste "admirável intercâmbio:

O admirabile commercium! Creator generis humani, anima corpus sumens, de Vir gine nasci digna tus est; et procedens homo sine semine, largitus est nobis suam deitatem - Admirável intercâmbio! O Criador da humanidade, assumindo corpo e dignou-se nascer de uma Virgem; e, tomando-se homem intervenção do homem, nos doou sua própria divindade!

*CIC - Catecismo da Igreja Católica

25 de novembro de 2010

As maravilhas do Natal

“Os profetas anunciaram suas maravilhas e milhares o adoraram”. Flavio Josefo (37-100) Historiador Judeu

Natal é tempo de profunda reflexão, solidariedade, reconciliação, é a festa da família, de confraternização, de amor, paz, felicidade, de fé e esperança para o próximo ano de saúde e prosperidade para toda humanidade.

Os profetas anunciaram o nascimento de Jesus Cristo: “Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, ele recebeu o poder sobre seus ombros, e lhe foi dado este nome: Conselheiro – Maravilhoso, Deus – Forte, Pai – Eterno e Príncipe – Da – Paz” (Is 9,5).
“Mas tu, (Belém), Éfrata, embora o menor dos clãs de Judá, de ti sairá para mim aquele que será dominador em Israel” (Mq 5,1).

As maravilhas do Natal são fatos que mudaram a história da humanidade. Nada na História do Mundo foi tão importante do que o maravilhoso nascimento de Redentor dos homens. Vejamos as incalculáveis maravilhas do Santo Natal:
  • Nosso Senhor Jesus Cristo nasceu para salvar o povo dos seus pecados (Mt 1,21; Lc 2,30 – 32; 19,10; Jo 3,17).
  • Para instaurar o Reino de Deus (Mt 4,17). Apresentar a sua ação na linha das manifestações do reinado messiânico escatológico, anunciado pelos profetas (Is 61,1-3; Mt 4,23: Lc 4,17-19; 9,27), “Jesus reinará na casa de Jacó para sempre, e o seu reinado não terá fim” (Lc 1,33).
  • Libertar o ser humano de toda injustiça e tirar-lo das trevas para a maravilhosa luz (Lc 4,18. 19; At 26,17. 18; Cl 1,13).
  • Desfazer as obras do diabo (Lc 11,21. 22; Jo 12, 31; I Jo 3,8).
  • Destruir a morte e nos dar moradas eternas ao lado do Pai (1 Cor 15, 26; 1 Tm 1, 10; Hb 2, 14; Lc 24, 43; Jo 14.1-6). O nascimento de Jesus Cristo trouxe a graça salvadora, o brilho da vida e a nossa imortalidade pelo seu evangelho (1 Tm 1, 9. 10).
O Natal é amor, porque Deus é amor (1 Jo 4, 8). É paz, porque Jesus é o Príncipe da Paz (Is 6, 9). É consolo e alegria, porque o Espírito Santo é o Consolador e alegria (Jo 14, 16; Gl 5, 22). É a magistral comunhão trinitária que faz do Natal a verdadeira festa comunitária.

O fundamento do Santo Natal é nosso Senhor Jesus Cristo. Nada ofusca o brilho e o esplendor do Menino na manjedoura de Belém, seja: o Papai Noel; a Árvore de Natal; o Presépio; os banquetes e os presentes. O Natal só é maravilhoso porque é o dia do nascimento do Menino Jesus. Este é o maior e o mais belo presente do bom Deus para todas as pessoas. Você já recebeu esse glorioso presente?

Os Magos vieram do Oriente para adorar o Menino Jesus em Belém da Judéia e os pastores que estavam nos campos glorificaram e louvaram a Deus por esse tão grande acontecimento! Você adora e louva a Jesus?

O cerne da reflexão do Natal parte da pessoa de Jesus Cristo. Dele somos levados à consciência da trabalharmos por um mundo melhor: sem ódio, sem egoísmo, sem fome, sem violência e sem guerras.

Feliz Natal e um abençoado Ano Novo.

Muita Paz e Prosperidade.

Pe. Inácio José do Vale
Pároco da Paróquia São Paulo Apóstolo
E-mail: pe.inaciojose.osbm@hotmail.com

12 de novembro de 2010

Excursão EMJOCA

Galera, falta menos de um mês para um dos maiores eventos de Anchieta, o EMJOCA – Encontro Municipal de Jovens Católicos de Anchieta.

Em sua 2º edição, o encontro desse ano nos convida a refletirmos por quais caminhos temos andado. É tempo de voltar! Esse é o tema do encontro.

Com muita animação, pregação e unção, somos convidados a vivenciarmos momentos de profundo relacionamento com Deus. E para nos ajudar nisso, além das bandas Graça Divina, FB6 e Sementes, teremos o show do Ministério Adoração e Vida.


Estamos contando com sua presença, para juntos irmos louvarmos a Deus. Garanta logo sua vaga e viva esse dia especial.


*Vagas limitadas

7 de novembro de 2010

Mensagem aos crismados turma 2008-2010

Queridos (as) crismados (as), turma 2008-2010, da comunidade N.S. Aparecida - Aeroporto.

Foi com grande alegria e suor que juntos podemos trilhar esse caminho de batalhas e conquistas. Foram Batismos, 1ª Comunhão e até casamentos.
Desde nossa 1ª reunião, ao olharmos para vocês, sempre quisemos e fizemos o melhor para cada um. Fomos bravos, chatos e até enjoados, mas tenham certeza que tudo valeu a pena. Afinal, chegamos a esse grande dia. A Terra prometida, lembram da 1ª reunião em 2008?
Desejamos de coração que esse Sacramento seja a partida para uma nova caminhada, agora pelo serviço da Igreja e pelo Reino de Deus.
Infelizmente, alguns de nossos companheiros ficaram no caminho e não puderam, nesse momento, receber o Sacramento da Crisma. Mas, tudo tem seu tempo certo aqui na Terra.
Agradecemos pelos momentos que passamos juntos nesse caminhar.

Com carinho, seus catequistas Claudeci, Allan, Renan e Darlene.



Celebração do Crisma com D. Luiz Mancilha Vilela

Clique aqui e você será redirecionado para nossa página do orkut onde irá conferir muito mais fotos!




1 de novembro de 2010

Irmã Dulce

Raro registro onde Irmã Dulce fala sobre sua missão e a história de sua obra. Mostra a religiosa em plena atividade.


Conheça mais sobre a vida de Irmã Dulce no site Anjo Bom do Brasil

31 de outubro de 2010

Halloween

Católicos querem crianças mascaradas de santos para recuperar caráter religioso.

As conferências episcopais inglesa e irlandesa querem travar a moda do Halloween entre as famílias cristãs, aconselhando as crianças a mascarar-se de santos em vez dos habituais monstros e bruxas. Um apelo a que se juntou a Igreja espanhola. Por cá, embora a noite das bruxas ainda não seja uma tradição muito forte, as organizações religiosas vêem com bons olhos esta recomendação.

"Não tenho a certeza de que o Halloween possa ser substituído, mas acho importante que se fale da véspera de Todos os Santos", refere José Vítor Adragão, membro do Congresso Internacional da Nova Evangelização. Também o padre Pablo Lima, do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil, considera que "a tradição do Halloween ainda é muito pequena em Portugal" e que, apesar de "não haver uma substituição do dia de Todos os Santos, é importante alertar para estes costumes que já estão a crescer".

A pensar nos mais novos, um grupo da Igreja inglesa lançou uma espécie de guia com actividades para a noite de 31 de Outubro. O Night of Light (Noite da Luz) é uma iniciativa que segundo a página da Internet quer "reclamar o Halloween [véspera de Todos os Santos, em português] para a Igreja". Assim, nessa noite, as famílias cristãs são convidadas a vestir uma peça de roupa branca e a colocar uma vela na janela.

Atividades que José Vítor Adragão e Pablo Lima defendem, embora considerem que as duas festas podem conviver. "É possível que as crianças façam a festa de Halloween sem que isso exclua uma explicação da festa e da solenidade de Todos os Santos", entende o padre da Pastoral Juvenil. Até porque "não é o caminho do confronto que se deve seguir mas o da sadia convivência entre as duas festas", refere. Do mesmo modo, José Vítor Adragão defende que se deve "explicar o que é o Todos os Santos, mas não se pode substituir uma festa pela outra".

No entanto, não esconde o mal-estar perante a postura das escolas religiosas que festejam o Dia das Bruxas. "Custa-me um bocado ver os colégios católicos dar tanta importância ao Halloween, que não é uma tradição nossa", confessa. A solução está nas famílias cristãs, que devem explicar as duas festas e não esquecer a dimensão religiosa do dia de Todos os Santos, acrescenta o membro da Comunidade Emanuel.

A outra opção é convencer as crianças a mascarar-se de santos em vez de esqueletos ou bruxas. E para que ninguém se queixe de que não tem ideias, a Conferência Episcopal inglesa e a espanhola dão uma ajudinha. Os mais novos podem vestir-se de São Jorge, São Francisco, Santa Lúcia ou Santa Maria Madalena.

Tudo isto porque a Igreja defende que a origem do Halloween é principalmente católica, já que desde o século IV que se consagrava um dia para festejar Todos os Mártires. E três séculos mais tarde a festa em honra do Todos os Santos passou a ser celebrada a 1 de Novembro sendo precedida por uma vigília na noite de 31 de Outubro. Em inglês, esta vigília era chamada de All Hallow's Eve (Véspera de Todos os Santos). Mas esta noite também é celebrada na tradição pagã. A festa celta Sambain tinha por objectivo prestar culto aos mortos, celebrava-se de 5 a 7 de Novembro e era uma das festas mais importantes, pois acreditava-se que nesta data os espíritos voltavam para visitar os seus lares e guiar os familiares até ao Além. O culto acabou por se misturar com a tradição cristã.


Origem Católica

Desde o século IV a Igreja da Síria consagrava um dia para festejar "Todos os Mártires". Três séculos mais tarde o Papa Bonifácio IV († 615) transformou um templo romano dedicado a todos os deuses (Panteão) num templo cristão e o dedicou a "Todos os Santos", a todos os que nos precederam na fé. A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente era celebrada no dia 13 de maio, mas o Papa Gregório III(† 741) mudou a data para 1º de novembro, que era o dia da dedicação da capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro, em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa Gregório IV ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente. Como festa grande, esta também ganhou a sua celebração vespertina ou vigília, que prepara a festa no dia anterior (31 de outubro). Na tradução para o inglês, essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos os Santos), passando depois pelas formas All Hallowed Eve e "All Hallow Een" até chegar à palavra atual "Halloween".

28 de outubro de 2010

Discurso do Papa Bento XVI condenou com clareza “os projetos políticos” que “contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto”

Amados Irmãos no Episcopado,

«Para vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo» (2 Cor 1, 2). Desejo antes de mais nada agradecer a Deus pelo vosso zelo e dedicação a Cristo e à sua Igreja que cresce no Regional Nordeste 5. Lendo os vossos relatórios, pude dar-me conta dos problemas de caráter religioso e pastoral, além de humano e social, com que deveis medir-vos diariamente. O quadro geral tem as suas sombras, mas tem também sinais de esperança, como Dom Xavier Gilles acaba de referir na saudação que me dirigiu, dando livre curso aos sentimentos de todos vós e do vosso povo.

Como sabeis, nos sucessivos encontros com os diversos Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, tenho sublinhado diferentes âmbitos e respectivos agentes do multiforme serviço evangelizador e pastoral da Igreja na vossa grande Nação; hoje, gostaria de falar-vos de como a Igreja, na sua missão de fecundar e fermentar a sociedade humana com o Evangelho, ensina ao homem a sua dignidade de filho de Deus e a sua vocação à união com todos os homens, das quais decorrem as exigências da justiça e da paz social, conforme à sabedoria divina.

Entretanto, o dever imediato de trabalhar por uma ordem social justa é próprio dos fiéis leigos, que, como cidadãos livres e responsáveis, se empenham em contribuir para a reta configuração da vida social, no respeito da sua legítima autonomia e da ordem moral natural (cf. Deus caritas est, 29). O vosso dever como Bispos junto com o vosso clero é mediato, enquanto vos compete contribuir para a purificação da razão e o despertar das forças morais necessárias para a construção de uma sociedade justa e fraterna. Quando, porém, os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas (cf. GS, 76).

Ao formular esses juízos, os pastores devem levar em conta o valor absoluto daqueles preceitos morais negativos que declaram moralmente inaceitável a escolha de uma determinada ação intrinsecamente má e incompatível com a dignidade da pessoa; tal escolha não pode ser resgatada pela bondade de qualquer fim, intenção, conseqüência ou circunstância. Portanto, seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até à morte natural (cf. Christifideles laici, 38). Além disso no quadro do empenho pelos mais fracos e os mais indefesos, quem é mais inerme que um nascituro ou um doente em estado vegetativo ou terminal? Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático – que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana – é atraiçoado nas suas bases (cf. Evangelium vitæ, 74). Portanto, caros Irmãos no episcopado, ao defender a vida «não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambigüidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo» (ibidem, 82).

Além disso, para melhor ajudar os leigos a viverem o seu empenho cristão e sócio-político de um modo unitário e coerente, é «necessária — como vos disse em Aparecida — uma catequese social e uma adequada formação na doutrina social da Igreja, sendo muito útil para isso o "Compêndio da Doutrina Social da Igreja"» (Discurso inaugural da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, 3). Isto significa também que em determinadas ocasiões, os pastores devem mesmo lembrar a todos os cidadãos o direito, que é também um dever, de usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum (cf. GS, 75).

Neste ponto, política e fé se tocam. A fé tem, sem dúvida, a sua natureza específica de encontro com o Deus vivo que abre novos horizontes muito para além do âmbito próprio da razão. «Com efeito, sem a correção oferecida pela religião até a razão pode tornar-se vítima de ambigüidades, como acontece quando ela é manipulada pela ideologia, ou então aplicada de uma maneira parcial, sem ter em consideração plenamente a dignidade da pessoa humana» (Viagem Apostólica ao Reino Unido, Encontro com as autoridades civis, 17-IX-2010).

Só respeitando, promovendo e ensinando incansavelmente a natureza transcendente da pessoa humana é que uma sociedade pode ser construída. Assim, Deus deve «encontrar lugar também na esfera pública, nomeadamente nas dimensões cultural, social, econômica e particularmente política» (Caritas in veritate, 56). Por isso, amados Irmãos, uno a minha voz à vossa num vivo apelo a favor da educação religiosa, e mais concretamente do ensino confessional e plural da religião, na escola pública do Estado.

Queria ainda recordar que a presença de símbolos religiosos na vida pública é ao mesmo tempo lembrança da transcendência do homem e garantia do seu respeito. Eles têm um valor particular, no caso do Brasil, em que a religião católica é parte integral da sua história. Como não pensar neste momento na imagem de Jesus Cristo com os braços estendidos sobre a baía da Guanabara que representa a hospitalidade e o amor com que o Brasil sempre soube abrir seus braços a homens e mulheres perseguidos e necessitados provenientes de todo o mundo? Foi nessa presença de Jesus na vida brasileira, que eles se integraram harmonicamente na sociedade, contribuindo ao enriquecimento da cultura, ao crescimento econômico e ao espírito de solidariedade e liberdade.

Amados Irmãos, confio à Mãe de Deus e nossa, invocada no Brasil sob o título de Nossa Senhora Aparecida, estes anseios da Igreja Católica na Terra de Santa Cruz e de todos os homens de boa vontade em defesa dos valores da vida humana e da sua transcendência, junto com as alegrias e esperanças, as tristezas e angústias dos homens e mulheres da província eclesiástica do Maranhão. A todos coloco sob a Sua materna proteção, e a vós e ao vosso povo concedo a minha Benção Apostólica.

27 de outubro de 2010

Conheçam a Banda Estação XV

Formada há 4 anos, a banda campo-grandense Estação XV se destacou no cenário católico antes mesmo de lançar seu primeiro CD, intitulado COTIDIANO, e cativou o público jovem de Mato Grosso do Sul. São integrantes do grupo: Gustavo Monge (voz), Renata Barrios (voz), Flábio Araújo (baixo), Blau Junior (guitarra), Emerson Silva (violão) e Éric Ávila (bateria).

O CD Cotidiano, lançado em julho de 2010, traz 14 músicas autorais, produzido por Maisael Ferro, gravado no Estúdio Gramophone, mixadas por Fábio Henriques (laureado produtor musical, com 01 Grammy recebido, pela mixagem de um disco de Caetano Veloso), e com a brilhante participação dos arranjos vocais de Adelso Freire (assina e executa todos os arranjos de backing vocals, nacionalmente conhecido por seu trabalho e participações em discos de artistas como Fábio de Melo, Adriana, Anjos de Resgate, Dalvimar Gallo, Dallas Company).

Com belas letras e ritmos dançantes, as músicas da Estação XV ganharam espaço também em rádios e web rádios católicas nacionais, como: Beatitudes, Anunciação FM, Milícia da Imaculada, Cristo Atividade, Santíssimo FM, Jesus Misericordioso, Rádio Canção Nova de Campinas, entre outras.

O trabalho da banda também pode ser acompanhado através das mídias sociais, nos endereços:


Em maio a banda gravou seu primeiro vídeo clip, com a música Estação XV, e pode ser conferido no Youtube.


CONTATOS

E-mail: estacaoxv@gmail.com
Telefone: (67) 8412-0035 -Mariana

24 de outubro de 2010

Mensagem do Setor Juventude pelo Dia Nacional da Juventude 2010

Mensagem do Setor Juventude pelo Dia Nacional da Juventude “Muita reza, muita luta, muita festa!”. Este é o slogan de 25 anos do Dia Nacional da Juventude, que acontece no próximo dia 24 em todo o país.

Para celebrar a data, o Setor Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma mensagem, assinada pelo bispo referencial do Setor, dom Eduardo Pinheiro e pelo assessor nacional, padre Carlos Sávio da Costa, na qual parabeniza a todos os jovens do Brasil.

“Parabéns a todos aqueles e aquelas que, durante esses anos, não só mantêm acesa a chama deste evento, mas, através dele, provocam um olhar mais carinhoso, verdadeiro e respeitoso com relação a nossa juventude”, disse os representantes do Setor Juventude. Leia a íntegra da nota abaixo:

25 anos do DNJ

O mês de outubro, dedicado ao aprofundamento da dimensão missionária da nossa vocação de discípulo, foi escolhido para contemplar um dos maiores eventos de juventude da Igreja em nosso país: o Dia Nacional da Juventude (DNJ).

Estamos comemorando 25 anos de sua existência. Motivado pela promulgação do Ano Internacional da Juventude, pela ONU em 1985, o DNJ nasceu por iniciativa da Pastoral da Juventude e sempre quis ser um momento especial de manifestação da beleza, da força e do compromisso da nossa juventude. Percebendo a necessidade de proclamar bem alto a boa-nova de Jesus Cristo, este evento de massa vai às ruas e aos grandes espaços públicos para, juntamente com várias outras expressões de juventude, cantar a força da vida e mostrar a todos o quanto ainda se tem a aprender com o dinamismo juvenil.

Parabéns a todos aqueles e aquelas que, durante esses anos, não só mantêm acesa a chama deste evento, mas, através dele, provocam um olhar mais carinhoso, verdadeiro e respeitoso com relação a nossa juventude.

Este significativo Jubileu coincide com a manifestação que os jovens católicos, sob a orientação das pastorais da juventude, fazem nas praças para um ‘basta à violência juvenil’. A juventude é portadora de riquezas imensas, sonhos ousados, coração generoso, espiritualidade vibrante, muita energia e criatividade, e não podemos deixar que a violência social e cultural comprometa o presente que Deus nos concede com a vida dos jovens para a vida de nosso povo.

Ao festejar esta data memorável, vamos, todos, renovar nossa paixão pela juventude motivando-a, sobretudo, à paixão por Aquele que, chamando-nos de amigos, se coloca como o único Caminho, Verdade e Vida.

Brasília, 24 de outubro de 2010

Dom Eduardo Pinheiro da Silva, SDB
Bispo referencial para a Juventude-CNBB

Pe. Carlos Sávio da Costa Ribeiro
Assessor do Setor Juventude-CNBB

22 de outubro de 2010

Dependência tecnológica - Quando o computador se torna mais importante

Aceitamos plenamente que a realidade em nosso tempo é o uso cada vez mais frequente, e nas mais diferentes culturas, das tecnologias como forma de comunicação, informação, formação e entretenimento; embora seja um grande desafio gerenciar a quantidade do tempo que passamos diariamente frente a estas máquinas. Muito do nosso trabalho está ligado a equipamentos e softwares que facilitam nossa vida, mas diminuem o contato e o relacionamento humano.

Quando falamos em crianças em plena fase de desenvolvimento, podemos pensar no seguinte: quanto tempo elas ficam on-line, jogando? Qual a frequência de tempo frente ao computador? Já parou para analisar estas questões de família? O tempo é apenas uma forma de “medir” se estamos ou não dependentes, mas há outros fatores a serem considerados.

Há alguns indicadores para saber o quanto uma criança (e até mesmo um jovem) está com dificuldade de trocar o computador [por outra atividade] ou até mesmo tem um comportamento de dependência [ao equipamento], são:

- Quando o jogo ou o uso de mídias sociais como MSN, Orkut etc., torna-se a atividade mais importante da vida da criança, dominando seus pensamentos e comportamentos.

- Modificação de humor/euforia: experiência subjetiva de prazer, euforia ou mesmo alívio da ansiedade quando está no ato de jogar.

- Necessidade de usar o computador por períodos cada vez maiores para atingir a mesma modificação de humor, ou seja, para “sentir-se bem”.

- Fase de Abstinência: estados emocionais e físicos desconfortáveis quando ocorre descontinuação ou redução súbita do uso do computador (intencional ou forçada).

- Vivência de conflitos: pode ser entre aquele que usa o computador excessivamente e as pessoas próximas (conflito interpessoal), conflito com outras atividades (trabalho, escola, vida social, prática de esportes etc.) ou mesmo do indivíduo com ele mesmo, relacionado ao fato de estar jogando excessivamente (conflito intrapsíquico).

Não podemos negar as maravilhas oferecidas pela tecnologia, a facilidade de acesso, a disponibilidade de informações e a realidade que se encontra com este tipo de acesso e relacionamento, porém, cada vez mais frequente se torna a realidade das famílias dividas pela individualidade gerada no uso de tecnologia. Enquanto um fala ao telefone no quarto fechado, o outro está ligado no computador horas sem falar com ninguém, e a outra prende-se à TV, sem parar.

Quantas vezes as crianças, além do uso em casa, deixam de comprar lanche para jogar nas lan houses? São capazes de passar dias inteiros, finais de semana longe do relacionamento interpessoal. O uso do computador e seus jogos, que era reservado apenas como lazer, torna-se praticamente a atividade principal delas. O sono é prejudicado, a alimentação também, pois as crianças comem em frente ao computador sem ao menos saber quanto e o que, gerando obesidade. O isolamento continua e a irritação, por não usar o computador ou imaginar que vão ficar sem ele, se torna imensa, com um grande desconforto emocional.

Como família, é muito importante que possamos voltar nossa atenção para este assunto para que possamos desenvolver crianças e jovens com uma vida mais saudável, favorecendo as relações humanas mais sadias.

Elaine Ribeiro
psicologia01@cancaonova.com
Elaine Ribeiro, colaboradora da Comunidade Canção Nova, formada em Psicologia Clínica e Pós-Graduada em Gestão de Pessoas. Site: http://temasempsicologia.wordpress.com

21 de outubro de 2010

Listagem dos Papas da Igreja Católica

O Romano Pontífice, como sucessor de Pedro, é o perpétuo e visível princípio e fundamento da unidade quer dos Bispos quer da multidão dos fiéis. - LUMEN GENTIUM, 23

Séculos I a IV
Pedro · Lino · Anacleto · Clemente I · Evaristo · Alexandre I · Sisto I · Telésforo · Higino · Pio I · Aniceto · Sotero · Eleutério · Vítor I · Zeferino · Calisto I · Urbano I · Ponciano · Antero · Fabiano · Cornélio · Lúcio I · Estêvão I · Sisto II · Dionísio · Félix I · Eutiquiano · Caio · Marcelino · Marcelo I · Eusébio · Melquíades · Silvestre I · Marcos · Júlio I · Libério · Dâmaso I · Sirício · Anastácio I
Séculos V a VIII
Inocêncio I · Zósimo · Bonifácio I · Celestino I · Sisto III · Leão I · Hilário · Simplício · Félix III · Gelásio I · Anastácio II · Símaco · Hormisdas · João I · Félix IV · Bonifácio II · João II · Agapito I · Silvério · Vigílio · Pelágio I · João III · Bento I · Pelágio II · Gregório I · Sabiniano · Bonifácio III · Bonifácio IV · Adeodato I · Bonifácio V · Honório I · Severino · João IV · Teodoro I · Martinho I · Eugênio I · Vitaliano · Adeodato II · Dono · Agatão · Leão II · Bento II · João V · Cónon · Sérgio I · João VI · João VII · Sisínio · Constantino · Gregório II · Gregório III · Zacarias · Estêvão II · Estêvão III · Paulo I · Adriano I · Leão III

Séculos IV a XII
Estêvão IV · Pascoal I · Eugênio II · Valentino · Gregório IV · Sérgio II · Leão IV · Bento III · Nicolau I · Adriano II · João VIII · Marino I · Adriano III · Estêvão V · Formoso · Bonifácio VI · Estêvão VI · Romano · Teodoro II · João IX · Bento IV · Leão V · Sérgio III · Anastácio III · Lando · João X · Leão VI · Estêvão VII · João XI · Leão VII · Estêvão VIII · Marino II · Agapito II · João XII · Bento V · Leão VIII · João XIII · Bento VI · Bento VII · João XIV · João XV · Gregório V · Silvestre II · João XVII · João XVIII · Sérgio IV · Bento VIII · João XIX · Bento IX · Silvestre III · Gregório VI · Clemente II · Dâmaso II · Leão IX · Vítor II · Estêvão IX · Nicolau II · Alexandre II · Gregório VII · Vítor III · Urbano II · Pascoal II · Gelásio II · Calisto II · Honório II · Inocêncio II · Celestino II · Lúcio II · Eugênio III · Anastácio IV · Adriano IV · Alexandre III · Lúcio III · Urbano III · Gregório VIII · Clemente III · Celestino III · Inocêncio III

Séculos XIII a XVI
Honório III · Gregório IX · Celestino IV · Inocêncio IV · Alexandre IV · Urbano IV · Clemente IV · Gregório X · Inocêncio V · Adriano V · João XXI · Nicolau III · Martinho IV · Honório IV · Nicolau IV · Celestino V · Bonifácio VIII · Bento XI · Clemente V · João XXII · Bento XII · Clemente VI · Inocêncio VI · Urbano V · Gregório XI · Urbano VI · Bonifácio IX · Inocêncio VII · Gregório XII · Martinho V · Eugênio IV · Nicolau V · Calisto III · Pio II · Paulo II · Sisto IV · Inocêncio VIII · Alexandre VI · Pio III · Júlio II · Leão X · Adriano VI · Clemente VII · Paulo III · Júlio III · Marcelo II · Paulo IV · Pio IV · Pio V · Gregório XIII · Sisto V · Urbano VII · Gregório XIV · Inocêncio IX · Clemente VIII

Séculos XVII a XX
Leão XI · Paulo V · Gregório XV · Urbano VIII · Inocêncio X · Alexandre VII · Clemente IX · Clemente X · Inocêncio XI · Alexandre VIII · Inocêncio XII · Clemente XI · Inocêncio XIII · Bento XIII · Clemente XII · Bento XIV · Clemente XIII · Clemente XIV · Pio VI · Pio VII · Leão XII · Pio VIII · Gregório XVI · Pio IX · Leão XIII · Pio X · Bento XV · Pio XI · Pio XII · João XXIII · Paulo VI · João Paulo I · João Paulo II

Século XXI
Bento XVI

15 de outubro de 2010

Homenagem aos professores

Neste dia especial a Equipe Turma do Crisma deseja a você, professor (a), uma carreira repleta de realizações e felicidades.
Jesus Cristo foi o professor dos professores. Ao lecionar, querido professor (a), tenha como espelho esse Homem que mudou nossa história e lembre-se Nossa Senhora também foi uma grande professora.
Como é bom recordar os professores da infância!
Obrigado por estarem gravados em nossos corações com essa profissão tão digna.

12 de outubro de 2010

À Rainha e Mãe Aparecida

Em nossa esperança adormecida, sempre nos acolhe a Senhora Aparecida, para nos dar paz e guarida, alívio às nossas dores e feridas.

Nesta estrada entre espinhos e flores, surge em nossa vida a Mãe Aparecida sempre pronta a suavizar dissabores pela difícil trilha a ser percorrida.

Nossa Mãe e Redentora, Nossa Rainha e Salvadora, Nossa Eterna Protetora. Abençoe o povo brasileiro, tão fiel e caminheiro, grande amigo e companheiro.

Autora: Maria Aparecida Atta

7 de outubro de 2010

Crisma 2010 - Novo dia!

Queridos (as) crismandos,

Informamos que o dia do Crisma 2010 foi alterado para 07 de novembro, às 9h30min, Matriz São Pedro e 11h30min, Amarelos.

Essa alteração aconteceu devido ao segundo turno das eleições presidenciais.

Vale ressaltar que o (a) crismando que não se confessou esse ano, deverá procurar um padre para confessar-se antes do sacramento da crisma.


2 de outubro de 2010

Festa de Nossa Senhora Aparecida - Aeroporto 2010

A Comunidade Nossa Senhora Aparecida - Aeroporto, convida você e sua família para participar da Novena Festiva em homenagem à Nossa Padroeira.

Programação (todos os dias 19h30min)

03/10 - Início da Novena com celebração da Palavra com a comunidade local e coroação de Nossa Senhora com as crianças.
04/10 - Santa Missa com a participação das comunidades Santa Clara e São Pedro Matriz.
05/10 - Celebração da Palavra com a participação das comunidades Nossa Senhora de Lourdes e Nossa Senhora das Graças.
06/10 - Santa Missa com a participação das comunidades Sagrada Família e Santa Cruz.
07/10 - Santa Missa com a participação das comunidades Nossa Senhora da Penha (Iguape) e Nossa Senhora da Conceição.
08/10 - Celebração da Palavra com a participação das comunidades Nossa Senhora de Fátima e São José (Portal Club).
09/10 - Celebração da Palavra com as comunidades Santana e Santa Rosa de Lima. Após, show com a Banda Graça Divina.
10/10 - Domingo - Almoço comunitário a partir das 11h no campo do Aliança, com a participação da Banda Guaranhense. 19h30min - Celebração da Palavra com a participação das comunidades São Paulo e Coral Infantil da comunidade. Após, show com a Banda Anjos de Cristo.
11/10 - Santa Missa com a participação da comunidade Santíssima Trindade e Guadalupe. Após, show com a Banda Guaranhense.

12/10 - Dia da Padroeira

06h - Terço na Igreja
08h - Celebração com as crianças
10h - Passeio ciclístico
12h - Terço na Igreja
14h - Distribuição de doces para as crianças do bairro
18h - Início da Santa Missa presidida pelo Pe. Manoel David Neto, seguido de procissão pelas ruas do bairro. Após, encenação da história de Nossa Senhora Aparecida.
21h - Sorteio da Ação entre amigos.

29 de setembro de 2010

Ministério Adoração e Vida em Anchieta

Caravana de Guarapari no EMJOCA

Está chegando o grande encontro da Juventude de Anchieta, EMJOCA 2010 (Encontro Municipal de Jovens Católicos de Anchieta).

A Primeira edição do Encontro em Iriri, no ano de 2009, reuniu mais de 1.000 jovens e a expectativa para o encontro desse ano está grande.

O encontro será no dia 05.12.2010, em Anchieta, com inicio às 8h. O tema do encontro deste ano "É tempo de voltar!" Não perca esta oportunidade para voltar aos braços daquele que te criou, te ama e todos os dias espera seu retorno.

Entre as atrações desta edição do encontro estão o Ministério Adoração e Vida, Banda Sementes, Dança, Teatro e outras surpresas.

E a galera de Guarapari concerteza estará neste evento maravilhoso, na Caravana de Guarapari no EMJOCA 2010. Garanta sua vaga agora, pacote (transporte+ingressos) apenas, R$ 15 reais.

27 de setembro de 2010

Carta aos Padrinhos e Madrinhas

Guarapari, 26 de setembro de 2010.


Caríssimos Padrinhos e Madrinhas,


Aproximamos-nos da data do Sacramento do Crisma. Precisamos nos reunir para acertarmos os detalhes: camisas dos crismandos, confraternização etc. Queremos convidá-lo (a) para uma reunião somente com padrinhos e madrinhas, no dia 09/10 (sábado), 18:30, antes da novena.


Aguardamos vocês.

Claudeci - 9297-8201;

Allan – 9249-8781 / 3361-6195;

Renan – 9829-7595 / 3361-6195


Turma do Crisma

Lembretes para os crismandos

1) CONFISSÃO:
Paróquia N.S. de Lourdes - 3362-5803 - Terça e sexta das 14h30min às 17h.
Paróquia N.S. da Conceição - 3261-0881 - Todos os dias de 14h30min às 17h, sendo segunda somente pela manhã de 9h às 12h.
Paróquia São José - 3262-9287 - Segunda e quarta de 14h às 17h.
OBS.: Vale lembrar que sempre é bom ligar antes para confirmar se o padre está atendendo.

2) Entregar R$ 3,00 ao Renan até 03/10 (domingo) para a compra de carvão para o almoço da festa (10/10).
3) Acertar a ação entre amigos com Claudeci até 10/10 (domingo).
4) Comprar ingresso do almoço com Renan (R$ 5,00).
5) Pegar palanque dia 02/10 (sábado), 16:00 (em frente à Igreja).
6) A novena dia 04/10, na Igreja, é por conta do Crisma. Tarefas: a) limpar Igreja domingo (03/10), 20:30, após a novena; b) Preparar lanche do Padre; c) Levar prêmio para o bingo (Bolo, frutas ou chocolates).
7) Montar palanque dia 08/10 (sexta-feira), 19:30, em frente à comunidade.
8) Dia 24/10 (domingo), na celebração, vocês serão apresentados à comunidade. Não podem faltar.

Equipe do Crisma

24 de setembro de 2010

Vozes da Igreja: inscrições abertas para o concurso de canções

Estão abertas as inscrições para o concurso de canções em homenagem a Nossa Senhora. O evento realizado pela Rede Aparecida, lança uma proposta diferenciada nesta quarta edição do evento, intitulado Vozes da Igreja. Os participantes vencedores do concurso receberão 10 mil reais, que deverá ser investido nas necessidades da paróquia.

Para participar do “Vozes da Igreja”, a comunidade paroquial deve reunir músicos para composição e interpretação de uma música inédita em homenagem a Nossa Senhora. Além da canção, será avaliado a mobilização e o envolvimento das comunidades participantes.

As inscrições podem ser feitas clicando AQUI até o dia 15 de outubro.

Fonte: CNBB

19 de setembro de 2010

Por que rezar o Terço?

Terço, ou o rosário, é uma oração de contemplação, louvor e súplica ao mesmo tempo. O papa Paulo VI ensinou que ele "tem índole comunitária, se nutre da Sagrada Escritura e gravita em torno do mistério de Cristo".

Quanto mais se invoca Maria repetindo as Ave-Marias, tanto mais se evoca o Cristo, o "bendito fruto do seu ventre". Na medida em que o vamos rezando e contemplando, ele nos abre um "painel catequético e bíblico" da História da Salvação.

Tudo o que Jesus fez para nos dar o Reino do Pai. No caminho da oração vamos percorrendo o itinerário do discipulado junto com Maria, a discípula primeira e maior. Os 'Pai-nossos', as 'Ave Marias' e os 'Glórias ao Pai' entrelaçam episódios importantes vividos por Jesus e Maria. Cenas de alegrias, dores, glória e vivência do Reino.

Elas nos oferecem uma visão global das etapas do Mistério Pascal desde a Encarnação até a Ressurreição, Ascensão e envio do Espírito Santo. Nas contas do terço vai desfilando também a missão que Jesus confiou a nós na Igreja.

Somos obrigados a rezar o Terço?

Não. É uma devoção. Mas entre os que o rezam não haverá ninguém que ignore sua validade. Milhões e milhões de pessoas pelo mundo inteiro o rezam em todas as línguas e idades. Feita com devoção e piedade esta prece tão excelente tem alcançado muitas graças divinas. Por ela a Igreja superou grandes crises em sua História ao longo dos séculos: heresias, guerras, tragédias e perseguições.

Esta prece promove a vida cristã e a pastoral, iluminando a opção a ser feita em momentos de grave aflição. Depois do Pai-nosso é a oração mais conhecida e mais popular dentro da Igreja. Nenhum cristão deveria deixar de fazê-la. Rosário vem de rosa. Cada Ave Maria é uma rosa do buque a ser oferecido a Jesus e Maria.

Pe. Antonio Clayton Santanna, C.SS.R.

Agradecimento: Blog Juventude Ativa

16 de setembro de 2010

O mundo inteiro está cheio de pessoas

Há pessoas caladas que precisam de alguém para conversar.
Há pessoas tristes que precisam de alguém que as conforte.
Há pessoas tímidas que precisam de alguém que as ajude vencer a timidez.
Há pessoas sozinhas que precisam de alguém para brincar.
Há pessoas com medo que precisam de alguém que as façam pensar na melhor maneira de usarem a sua força.
Há pessoas habilidosas que precisam de alguém para ajudar a descobrir a melhor maneira de usarem a sua habilidade.
Há pessoas que julgam que não sabem fazer nada e precisam de alguém que as ajudem a descobrir o quanto sabem fazer.
Há pessoas apressadas que precisam de alguém para lhes mostrarem tudo o que não tem tempo para ver.
Há pessoas impulsivas que precisam de alguém que as ajudem a não magoar os outros.
Há pessoas que se sentem de fora e precisam de alguém que lhes mostre o caminho de entrada.
Há pessoas que dizem que não servem para nada e precisam de alguém que as ajudem a descobrir como são importantes.

Precisam de alguém, talvez de ti...

11 de setembro de 2010

Esclarecimento para as eleições 2010

Nós, bispos da Província Eclesiástica do Espírito Santo, sentimos a necessidade de esclarecer os católicos e pessoas de boa vontade sobre o seguinte:

1) A Igreja não exerce política partidária, portanto, não indica partido ou candidato durante as campanhas políticas. Porém, a Igreja, em seu discurso e ação defende a política do bem comum e a construção da democracia. “A Igreja tem o dever de oferecer, por meio da purificação da razão e através da formação ética, a sua contribuição específica para que as exigências da justiça se tornem compreensíveis e politicamente realizáveis”. “A Igreja não pode nem deve tomar nas suas próprias mãos a batalha política para realizar a sociedade mais justa possível [...]. Mas toca à Igreja, e profundamente, o empenhar-se pela justiça trabalhando para a abertura da inteligência e da vontade às exigências do bem” (Deus Caritas Est 27).

2) Recentemente, foi veiculado durante a propaganda eleitoral do candidato ao Senado, senador Magno Malta, o depoimento de um padre e de um bispo sobre atividades do candidato. Nós não concordamos com a veiculação de imagens de padres e bispos para apoiar um determinado candidato. Mais grave ainda, quando o padre e o bispo afirmam não terem autorizado o uso das imagens para fins eleitorais. Esta atitude fere o Princípio de Direito de Imagem resguardado pela Constituição.Orientamos todos os católicos que se posicionem criticamente diante desta campanha que coloca o foco na CPI da pedofilia e na CPI do narcotráfico. Estes temas exigem nossa reflexão e atitude, mas não concordamos que a dor, a humilhação e o sofrimento das crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual e tráfico de drogas e de armas, sejam transformados em espetáculo para angariar votos.

Caríssimos padres, lideranças católicas e pessoas de boa vontade, mantenhamo-nos dentro de nossos direitos sem violar o direito do outro, mas não nos omitamos nos esclarecimentos que devem ser dados a quem precisa, de forma que o voto seja consciente e responsável. O voto é um compromisso. É uma procuração que cada um dá ao candidato em quem vota.

Não podemos ser coniventes com pessoas que não têm ética na política.

D. Luiz Mancilha Vilela, Arcebispo de Vitória do Espírito Santo

D. Décio Sossai Zandonade, Bispo de Colatina

D. Zanoni Demettino Castro, Bispo de S. Mateus,

Pe. Antonio Tatagiba Vimercat, Administrador diocesano de Cachoeiro de Itapemirim